Cookies

Usamos cookies para fazer nosso website funcionar melhor e aprimorar a sua experiência online. Ao continuar a navegação neste website, você aceita o uso de cookies, saiba mais sobre cookies e nossa política de privacidade.

Moldando o futuro

Uma operação sustentável é um dos maiores desafios do nosso tempo. Toda contribuição é válida em rumo a essa mudança.

Produção na instalação da Audi em Bruxelas

A aparência da Audi do futuro é apresentada com uma imagem detalhada claramente: a empresa tem como meta chegar a 100% carbono neutro2 até 2050.
No caminho para atingir essa meta, cada fase do ciclo de vida de um veículo está sendo examinada – não somente com medições na fase de produção, mas também processos que têm um efeito ainda antes disso, como na cadeia de suprimentos. No centro disso tudo está um plano para usar recursos de forma responsável, reduzir a emissão de carbono consistentemente e expandir a mobilidade elétrica.

Até 2025, a Audi quer reduzir a pegada de carbono na sua frota ao longo do ciclo de vida do produto inteiro em até 30%, comparada com a referência do ano de 2015. Para conseguir fazer isso, ela está cada vez mais focando na mobilidade elétrica.

Uso de energia solar

Um futuro de carbono neutro² para todas as instalações da Audi

O ano de 2025 também é um marco importante para o programa ambiental Mission:Zero da Audi, que tem como compromisso alcançar maior sustentabilidade por toda a rede de produção. Todas as instalações da Audi devem ser carbono neutro2 até essa data.

As instalações em Bruxelas e na cidade Húngara de Győr já possuem operações carbono neutro2.
Alguns componentes importantes aqui incluem a energia geotérmica – que tem um papel essencial na Audi Hungria – e a instalação de sistemas fotovoltaicos (SFV). Em Bruxelas, o SFV ocupa uma área de 107.000 m2. O fornecimento de calor para a instalação na Bélgica possui certificados para biogás. A Audi Bruxelas está compensando maiores emissões que ainda não podem ser substituídas com fontes de energia renovável por meio de projetos de crédito de carbono.

Iniciativa

A Audi é membro da Global Battery Alliance – uma iniciativa de diversas partes interessadas que visa definir a sustentabilidade ao longo de toda a cadeia de valor das baterias. Dentre outras coisas, essa aliança visa proteger os direitos humanos e os padrões sociais na extração de matérias-primas, assim como encontrar formas de reutilizar baterias de íon lítio.

Mission:Zero na instalação de Ingolstadt

A Sede da empresa também está a caminho de se torna um local carbono neutro2: desde o início de 2012, a instalação da Audi em Ingolstadt usa somente eletricidade de fontes renováveis na construção de seus veículos. Módulos fotovoltaicos em uma área que ocupa cerca de 23.000 metros quadrados estão provendo energia renovável. Além disso, negócios externos nas áreas ao redor, incluindo uma refinaria, estão fornecendo calor residual de baixo carbono.

Além disso, um novo centro de abastecimento de água de processo com um biorreator de membrana foi comissionado em 2019 para transformar águas residuais em água industrial de alta qualidade, fazendo com que ela passe por uma série de estágios de limpeza, reduzindo de forma significante a necessidade de água limpa nas instalações industriais. A Audi também se compromete a uma maior proteção ambiental desde 2009 com a Fundação Ambiental da Audi.

Otimizando o consumo de água

O princípio de economia circular também é um aspecto-chave na área de produção. Ele está ligado ao consumo da água, dentre outras coisas. A instalação de San José Chiapa, no México, está demonstrando como o futuro das instalações da Audi pode levar essa questão em consideração, pois essa área já possui uma operação de produção que não gera nenhuma água residual. Toda água residual é tratada e reutilizada no próprio local.

Instalação da Audi em San José Chiapa, México

Descarbonizando as cadeias de suprimentos

A Audi também está olhando para o futuro com algumas ideias na área de cadeias de suprimentos. A empresa está tendo conversas construtivas com empresas fornecedoras, subcontratadas e parceiras relevantes. Como parte do programa de carbono lançado em 2018, medidas em conjunto estão sendo desenvolvidas para reduzir as emissões. O enfoque é em alumínio, aço e componentes de bateria, que demandam uma quantidade significativa de energia para serem produzidos. Os encontros já resultaram em medidas por toda a cadeia de suprimento que, juntas, têm a capacidade de reduzir 1,2 tonelada de carbono na frota de veículos. A implementação das medidas acordadas deve se tornar uma característica intrínseca em novos contratos no futuro. Desde 2018, o uso de energia verde é uma das condições estabelecidas nos contratos de abastecimento acordados com os fabricantes de baterias de alta tensão.

O circuito fechado de alumínio é outra medida acordada com os fornecedores. Por trás dele, há um ciclo eficiente envolvendo o processamento da folha de alumínio na fábrica: as sobras do corte das folhas de alumínio que se acumulam são retornadas diretamente ao fornecedor, que as processa e as transforma em novos produtos. As folhas de alumínio produzidas dessa forma são então usadas pela Audi novamente em suas instalações de produção. Desde a introdução dessa medida em Neckarsulm e em Ingolstadt, a Audi conseguiu diminuir 350.000 toneladas de emissão de carbono. O circuito fechado de alumínio deve ser usado em outras instalações no futuro.

Certificado de sustentabilidade.

O alumínio é usado no alojamento das baterias nos modelos e-tron da Audi. A certificação internacional da ASI (Aluminium Stewardship Initiative) deu à Audi seu certificado de produção sustentável de caixas de baterias (fonte: aluminium-stewardship.org).

Algumas pessoas vêm uma fábrica. Nós vemos o futuro.

Audi e-tron Sportback
e-tron S sportback

e-tron S sportback

Totalmente elétrico, o Audi e-tron S Sportback impressiona com seus três motores potentes, torque (Nm): 973, sendo o carro com maior torque do portfólio da Audi.

Saiba mais
¹ Informação da DAT
² Para conquistar o status de carbono neutro nas instalações da Audi, quatro princípios estão sendo aplicados (em ordem de prioridade). Primeiro: o gerenciamento para aumentar continuamente a eficiência energética. Segundo: a conversão da tecnologia usada nas instalações para funcionarem com energia renovável. Terceiro: a aquisição de energia de fontes renováveis. Quarto: a compensação da emissão de CO2 que não pode ser eliminada por medidas anteriores por meio de projetos credenciados de proteção climática.